FILME COREANO "ALIEN" CONCORRE PRÊMIO EM CANNES


O diretor Yeon Je-gwang, de 29 anos, está concorrendo no concurso cinematográfico Cinefoundation, do Festival Internacional de Cinema de Cannes, com seu filme "Alien".

"Alien" é um dos 17 filmes que fizeram parte da lista de dois mil filmes internacionais que foram inscritos e Yeon foi convidado para o festival como concorrente.

Yeon Je-gwang disse que ele estava super animado porque ele tem perseguido uma carreira cinematográfica toda a sua vida.

"Eu estava comendo quando recebi o telefonema da equipe do festival dizendo que meu filme foi indicado para o Prêmio Cinefoundation. Eu estava realmente animado para ouvir a notícia", disse ele.

"Alien" gira em torno da trágica morte da operária sino-coreana Reong-hee, indocumentada, que morre depois de cair do telhado de um prédio enquanto fugia de um oficial de imigração.

Sentindo a pressão, juntos o proprietário e o gerente da empresa tentam cobrir sua morte. Sua amiga Hong-mae, também trabalhadora chinesa indocumentada, organiza um funeral para sua amiga.

Em entrevista à Yonhap News Agency em Cannes, na França, o diretor Yeon disse que se inspirou na trágica morte de um trabalhador ilegal não identificado de um país do sudeste asiático que ocorreu há vários anos.

"Ele foi perseguido por um oficial de imigração e morreu depois de cair do telhado de um prédio. Li a notícia em um jornal. Sua morte foi erroneamente considerada um suicídio", disse o diretor.

Ele disse que os coreanos estão divididos quando se trata de imigrantes ilegais. "Há uma espécie de dicotomia em relação aos estrangeiros sem documentos. Alguns coreanos os vêem como pessoas ruins, enquanto alguns os vêem como pessoas pobres que precisam de ajuda. Não concordo com nenhum deles", disse ele.

Ele disse que por acaso leu a reportagem do jornal enquanto pensava na opinião divisiva da Coréia sobre trabalhadores convidados sem documentos.

Em "Alien", o diretor disse que ele tenta ser neutro sem se apoiar em nenhum deles. Ele escolheu ser vago, sem revelar claramente sua posição, para permitir que o público fizesse seu próprio julgamento.

No filme, Hong-mae encontra-se com trabalhadores convidados do sudeste asiático enquanto realiza um funeral para sua amiga morta. "Ela é uma trabalhadora ilegal, uma pessoa marginalizada que lida com o funeral de sua amiga que também foi marginalizada. Tentei expressar seus sentimentos complexos indiretamente, concentrando-me nas árvores atrás dela e do rio à sua frente", disse o diretor.

Yeon Je-gwang  disse estar curioso em saber como seu filme será visto pelo público internacional. "Só espero que eles consigam entender e meu filme possa dar a eles uma chance de pensar em imigrantes ilegais. É um tema comum e seus países precisam lidar com questões semelhantes", disse ele.


Fonte: (1)

Nenhum comentário

Pericles F Pellegrini. Tecnologia do Blogger.